segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Alanis Morissette - Jagged Little Pill


A porta aberta para as mulheres roqueiras dos anos 90 que não queriam se juntar às raivosas riot grrrl e apenas exorcizar seus dramas relacionados aos homens em paz rendeu enorme sucesso à canadense Alanis Morissette. Jagged Little Pill foi seu primeiro álbum lançado internacionalmente, e a mistura da extraordinária voz da cantora com letras confessionais, somadas ao rock alternativo que imperava na época, renderam-lhe inúmeros prêmios e o álbum foi simplesmente o mais vendido da década de 1990 (um feito invejável, já que temos na mesma época a febre que foi Nevermind, do Nirvana).

O que possa explicar esse sucesso talvez seja a sinceridade e os temas das letras: todas as mulheres do mundo já quiseram, querem ou quererão dizer "are you thinking of me when you fuck her?" para um ex-namorado canalha. Rotulado como "rock terapêutico" por alguns críticos equivocados, para mim leva o título de álbum confessional. Temos desde os momentos de revolta em "You Oughta Know" até faixas comoventes como "Perfect" e "Head Over Feet". Mas, do título de rock terapêutico, só temos "You Learn", que pode ser tomada como uma lição de vida a qualquer um que esteja se perguntando para que tanto sofrimento, num ritmo gostoso, sem aquele clima de "mãe falando para um filho", mas como um conselho de quem já viveu.

Para comemorar os 10 anos do álbum, em 2005, Alanis lançou uma versão acústica, que vale muito a pena ser escutada. Para todas as mulheres (e alguns homens também, por que não?), Jagged é um álbum fácil de se identificar e fácil de escutar.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Burlando Protetores de link!

Os internautas que baixam arquivos com frequência da internet, em algum momento, devem ter se deparado com páginas que possuem protetores de links (repletos de banners irritantes). Esses protetores solicitam que o usuário informe algum tipo de dado pessoal para se cadastrar e liberar o acesso ao download – geralmente é pedido o número de celular ou o endereço de email.

Todo serviço online sobrevive com a venda de espaço para propagandas publicitárias. Esse tipo de mecanismo de restrição ao conteúdo compartilhado é uma forma de sites, em sua maioria de pequeno porte, conseguirem dinheiro para viabilizar suas atualizações.

Contudo, para os usuários, os protetores de links são extremamente incômodos – sem levar em consideração a vulnerabilidade em que o internauta coloca suas informações. Se você achava que não havia como burlar esse tipo de artifício, confira esta seleção de aplicativos que poderão encontrar o link direto de download sem que o internauta precise expor seus dados.

Pré-requisitos

Uso geral:

Para Mozilla Firefox:

Para Google Chrome:

Método de avaliação

O funcionamento desses aplicativos é descomplicado. Portanto, resolvemos compará-los, além de ensinar como cada um deles deve ser utilizado. Durantes os testes realizados, levamos em consideração duas características básicas para softwares que quebram links protegidos: a velocidade com que o endereço original é encontrado e a influência desses programas no desempenho do navegador – quando cabível.

Selecionamos três páginas que possuem protetores de links e tentamos burlá-las com os softwares em avaliação. Sem mais delongas, chegou a hora de conferirmos o resultado das nossas experiências.

Internautas gerais

Quebra Link

O Quebra Link é um aplicativo baseado em Java que tem como função descobrir o endereço original de uma página de downloads protegida. Vale ressaltar que este programa não precisa de instalação, podendo ser facilmente transportado em pendrives ou HDs externos, por exemplo. Observação: você precisará ter o Java Runtimeinstalado no PC.

Após baixar o arquivo zipado referente ao Quebra Link, descompacte-o em qualquer pasta e execute o arquivo “quebraLink.jar”. Copie o endereço da página protegida e cole-o no campo “Insira o Link a ser quebrado” (1). Pressione o botão “Quebrar Link” (2) para que o software faça seu trabalho.

O link é quebrado com muita rapidez, sendo exibido imediatamente no campo “Link Quebrado” (3). Feito isso, você pode optar por copiar o endereço (botão “Copiar”) ou acessar diretamente a página na qual o arquivo pode ser baixado (botão “Download”) (4).

Durante a utilização do Quebra Link, percebemos um consumo um pouco elevado do processador. Portanto, se sua máquina possui hardware limitado, é possível que ela fique um pouco lenta enquanto o aplicativo estiver em execução.

Navegantes do Firefox

Desprotetor de Links para Firefox

Esta extensão para o Mozilla Firefox permite que o internauta siga para a página de download, sem colocar a segurança do computador em risco, com apenas um clique. O procedimento de instalação do Desprotetor de Links segue o padrão dos complementos para o navegador da raposa: basta aceitar a instalação do plugin e aguardar. Vale ressaltar que é preciso reiniciar o browser para que a alteração seja validada.

Ao acessar a página que contém a proteção de link (1), pressione o botão do aplicativo criado ao lado do menu “Exibir os favoritos” (2), localizado no canto superior direito da janela, para que ele procure pela página na qual o arquivo está armazenado.

O tempo para que o Desprotetor de Links encontrasse o endereço original foi bem mais alto do que o alcançado pelo Quebra Link. O complemento para o Firefox levou em média 8 segundos para desbloquear o conteúdo. O consumo de recursos do navegador é baixo, permitindo que o usuário transite entre abas sem qualquer dificuldade.

Antiprotector para Firefox

O Antiprotector tem um funcionamento diferente dos aplicativos explicitados anteriormente. Ele não adiciona um botão para o seu acionamento no navegador. Sua atuação é mantida constantemente em segundo plano. Assim, este complemento é acionado sempre que um link redirecionar o usuário para uma página de proteção.

Depois de ter instalado a extensão, basta você acessar o site de compartilhamento que deseja (1). Se entre os links para download disponíveis o plugin reconhecer um protetor, ele exibirá um ícone capaz de encaminhar o internauta diretamente para a página de download do arquivo. Clique sobre o ícone para baixar o conteúdo sem fazer qualquer cadastro (2).

Devemos alertar os leitores que o Antiprotector teve um desempenho aquém do esperado. O aplicativo teve dificuldades em identificar links protegidos. Sua assertividade foi muito inferior à do Desprotetor de Links, por exemplo, ignorando as páginas utilizadas com todos os softwares testados neste artigo.

Por outro lado, o Antiprotector foi o programa que apresentou o menor consumo de recursos do navegador, sendo praticamente imperceptível sua presença entre as ferramentas do Firefox. O acesso às páginas originais de download foi relativamente rápido, levando cerca de 5 segundos.

Adeptos do Chrome

Ao clicar no link “Clique para baixar”, você será redirecionado para a página da Chrome Web Store. Clique em “Adicionar ao Chrome” para baixar a extensão no seu navegador e pressione o botão “Instalar” para implementá-la.

Desprotetor de Links para Chrome

O Desprotetor de Links também tem uma versão para o Google Chrome. A forma de instalação e o funcionamento de ambas as versões são similares. Ao abrir a página com o protetor (1), basta pressionar o botão criado para o complemento na parte superior direita da interface do navegador (2).

Embora o software seja em sua essência o mesmo, no Chrome o Desprotetor de Links teve um desempenho inferior à sua versão para o Mozilla Firefox. A média de tempo para quebrar os links de proteção no browser da Google foi de 20 segundos. Contudo, ele continua com baixa influência na performance do navegador, permitindo que o usuário siga navegando sem problemas de lentidão ou travamento.

Guerapa Desprotetor

Assim como o Desprotetor de Links, o Guerapa Desprotetor adiciona um botão na interface do navegador para ser ativado. Dessa forma, quando o usuário acessar uma página com a proteção do link (1), basta pressionar o ícone de um cadeado ao lado da barra de endereço (2) para quebrar essa barreira.

Este aplicativo surpreendeu por sua agilidade ao burlar o mecanismo de restrição. Nos testes realizados, o Guerapa Desprotetor levou em média 2 segundos para encontrar o repositório original do conteúdo. Sua baixa interferência no desempenho do Chrome também é outro ponto positivo, possibilitando que a navegação do internauta mantenha-se inalterada.

Antiprotector para Google Chrome

O funcionamento deste complemento para o Google Chrome é idêntico ao da sua versão para o Mozilla Firefox, a qual já teve sua avaliação explicitada neste artigo. Contudo, seu desempenho no browser da gigante de Mountain View ficou abaixo do navegador da raposa. Esta versão do Antiprotector levou 15 segundos para desabilitar a proteção do link e exibir o repositório do arquivo compartilhado. Por outro lado, novamente, o complemento demonstrou ser extremamente leve e com baixo consumo de recursos do navegador.

Dec Link para Chrome

Seguindo as tendências da maioria dos aplicativos do gênero, o Dec Link incrementa o Chrome com um botão no canto superior direito da sua interface com um botão. Por meio desse botão, o internauta pode ativar o recurso de quebra de link do complemento. Quando você se deparar com uma página de download protegida (1), clique no ícone do Dec Link (2) para baixar o conteúdo sem precisar informar qualquer dado pessoal.

A avaliação desta extensão foi positiva. Além de não prejudicar o desempenho do browser, ela encontrou o endereço original do arquivo com um tempo entre 1 e 4 segundos. Com isso, o Dec Link é mais uma alternativa qualificada para você burlar os protetores de download pelo Google Chrome.

Este complemento possui uma versão para o Firefox. Contudo, ela não funcionou em nenhuma das tentativas durante os nossos testes. Todavia, caso você queira conferi-lo no navegador da Mozilla, clique aqui.

Nem sempre funciona

Devemos deixar bem claro que a utilização de qualquer um dos aplicativos mencionados neste guia não garante que a proteção seja quebrada em 100% dos casos. Assim como os programas são atualizados, os protetores de links permanecem em constante evolução para evitar que seu sistema seja burlado. Portanto, nem sempre será possível acessar o repositório de origem sem realizar o cadastro solicitado.

Porém, as dicas descritas neste artigo, com certeza, servirão para livrar você da maioria das páginas que possuem esse tipo de mecanismo de proteção.

Fonte:Tecmundo


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Água líquida em Marte!

(Fonte da imagem: NASA)
A Agência Espacial Norte-Americana (NASA) confirmou nesta quinta-feira ter encontrado fortes indícios da existência de água em estado líquido na superfície de Marte. Para os pesquisadores que analisaram imagens coletadas pela sonda MRO, há grandes possibilidades de a água ser salgada.

A existência de água congelada já havia sido confirmada em diversas regiões do planeta. Contudo, esta é a primeira vez que a substância foi localizada na forma líquida, durante a primavera e o verão. “A descoberta reafirma Marte como um importante destino para a expedição humana no futuro”, destaca Charles Bolden, administrador da NASA.

Nas estações mais quentes, a temperatura local subiria acima do ponto de congelamento e a água escorreria sob uma fina camada de poeira pelas encostas. Estudos recentes sugerem que, graças a uma série de depósitos salinos na superfície do planeta encontrados no passado, a água também estaria presente em diversas outras áreas.

domingo, 7 de agosto de 2011

Mortal Kombat 9 é o ultimo game da longa serie de games Mortal Kombat, desenvolvido pela NetherRealm Studios com a ''etiqueta'' da Warner Bros.
O game conta com praticamente todos os personagens dos games mais antigos, na versão para o playstation 3, pode-se liberar o Kratos do game God of War, para quem conhece mais desse game, no modo historia você começara jogando com o Johnny Cage e acabará em uma batalha final contra o Shao Kahn. Muito bom esse game a melhor parte são os Fatalities.
Postado Por: Luís (Panco)

sábado, 6 de agosto de 2011

PL 84/99: DIGA NÃO à ditadura digital

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Criando mais de uma área de trabalho, organize-se!




É bastante comum utilizarmos muitos programas e janelas ao mesmo tempo. São tantas tarefas e atividades que fatalmente chega ao ponto em que uma Área de trabalho é pouco para organizar tudo.
Uma solução para esses momentos é multiplicar o espaço no desktop, o que é possível com a ajuda de diferentes programas. E o Baixaki preparou uma seleção especial com as melhores opções para isso.

Yet anOther Desktop Manager 3D

Este é um dos programas de maior sucesso no Baixaki. Ele simula a tecnologia 3D Desktop, uma das possibilidades do XGL — pacote de aplicativos para o Linux que abrange diversos efeitos visuais.
Ele cria quatro Áreas de trabalho independentes com um toque muito agradável visualmente: um cubo tridimensional no qual cada face representa um desktop. O usuário ativa esse cubo de diferentes maneiras — via atalhos de teclado e movimento do mouse — e roda a imagem.
Além do estilo, o programa faz sucesso pelas muitas opções de configuração. O usuário cria combinações de teclas ou então, se preferir, programa o mouse para ativar o cubo com um simples movimento do cursor. Há também configurações de transparência e zoom, além de planos de fundo e ícones personalizados para cada desktop e muitas outras possibilidades.
A verdade é que o potencial do Yet anOther Desktop Manager 3D é enorme, e a nossa dica é explorar todas as opções que ele tem a oferecer.
Todo o estilo do Yet anOther Desktop Manager 3D.

Dexpot

Dexpot é outro destaque quando o assunto é criação de Áreas de trabalho virtuais. Ele cria quatro desktops distintos, gerenciados através de um ícone na Barra de sistema (systray) no XP e Vista (ou Área de notificação no 7).
Clicando com o botão esquerdo sobre esse ícone, as diferentes Áreas de trabalho aparecem lado a lado, e é possível acessar qualquer uma delas. Cada uma pode ter seu papel de parede e janelas independentes. Também é possível acessá-las via atalhos de teclado.
Dexpot tem vários recursos, como o catálogo de janelas, que permite a visualização de todas as janelas como uma apresentação de slides. Já o Gerenciador de Desktop mostra um pequeno menu com todas as Áreas de trabalho, representadas por ícones de monitores.
Outro recurso interessante é a ferramenta para pré-visualizar os softwares que estão abertos em primeiro plano em cada Área de trabalho. Há ainda a possibilidade de mudar de desktop seguindo intervalos de tempo específicos.
Dexpot.
Dexpot.

Microsoft Desktops

Essa opção simula quatro Áreas de trabalho diferentes, uma independente da outra. Os quatro ambientes são criados automaticamente a partir do momento em que o programa é executado.
Nas opções, pode-se criar a melhor combinação para alternar entre as Áreas de trabalho com as teclas Ctrl, Alt, Shift, numéricas ou de funções. Mas, se você prefere trocá-las com o mouse, não há empecilhos para tal.
Clicando no ícone do programa, ele mostra quatro miniaturas, e você só precisa clicar naquela que deseja acessar. Microsoft Desktops não precisa de instalação e é pequeno, logo, uma boa opção para usar em um pendrive.
O Microsoft Desktops não tem um comando para fechar o utilitário. Para isso, é necessário fazer o logoff no Windows.
Microsoft Desktops.
Microsoft Desktops

Double Desktop

Este é mais simples e funcional. Ele simula dois monitores que se alternam por uma simples seta vermelha. Se você arrastar uma janela para a borda, ela também aparece no outro lado. Assim, é possível passar as janelas de programas para o outro desktop apenas arrastando-a para o lado. Para usar esse efeito no Windows 7, é necessário desabilitar o recurso Aero Snap.
As opções do Double Desktop permitem configurar um atalho de teclado e também estilizar os ícones tanto da Área de trabalho principal quanto da secundária. Pode-se também escolher um papel de parede diferente para o segundo desktop, em "Wallpaper".
Double Desktop.
Double Desktop

Finestra Virtual Desktops

O Finestra Virtual Desktops simplesmente não tem limites. Com ele você cria quantas Áreas de trabalho quiser, só depende da capacidade da memória do seu computador. Ele tem ótimos efeitos visuais, por exemplo, um gerenciador em tela cheia para trocar de desktop.
No Windows 7, ele usa miniaturas na Barra de tarefas para que você veja e acesse qualquer um dos desktops. Já no Vista, essas miniaturas são mostradas pelo ícone do Finestra, que pode ser únicopode ser geral, para todos os desktops, mas também é possível criar um ícone para cada ambiente.
Esse programa também suporta atalhos de teclado e pode ser configurado para aproveitar mais de um monitor. Enfim, é um utilitário repleto de recursos e muito estiloso.
Efeitos visuais do Finestra.

Menção honrosa ao MultiTabber

O MultiTabber para Windows 7 não cria Áreas de trabalho virtuais, mas é uma maneira de organizar a Barra de tarefas. Ele simula até 10 barras virtuais, cada uma com seus respectivos ícones ativos, o que reduz a aglomeração deles. Elas são indicadas por pequenos círculos numerados exibidos onde você preferir — em qualquer um dos cantos da tela ou então ao centro.
MultiTabber.
MultiTabber.
O recurso “Universal Application” lista todos os processos em execução no momento, e você só precisa passar os programas desejados para uma lista de exceção, assim poderá usá-los em todas as instâncias.
Vale ressaltar que MultiTabber não cria desktops virtuais propriamente ditos. As alterações feitas a ícones na Área de trabalho valem para todas as instâncias criadas pelo programa.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

AZBox: Derrubando os Canais por Assinatura!

Ter TV não é mais para poucos.

Ter acesso a todos os canais da TV paga, incluindo as opções em pay-per-view, sem precisar pagar nenhuma assinatura mensal. Graças a um aparelho irregular que está sendo comercializado no mercado brasileiro, ter acesso a esse tipo de conteúdo já é uma realidade para muitos usuários.

Anunciado como “um novo conceito em fibra ótica”, o AZBox é um decodificador que, ligado a uma antena ou cabo de empresas como Net, Sky e Telefônica, quebra os códigos de proteção e permite a exibição de todos os canais da operadora de graça.

O produto não é homologado pela Anatel e, por isso, a venda dele no país é ilegal. Contudo, em diversos sites, é possível encontrar o aparelho com entrega no território nacional. Além disso, via contrabando, o AZBox chega a diversas lojas brasileiras.

Nas últimas semanas, a ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura) notificou dezenas de sites, solicitando a suspensão da venda do produto. A Google, por exemplo, informou que não é responsável pelo conteúdo publicado na internet. Já o Mercado Livre proíbe o anúncio de decodificadores dos sinais de transmissão de TV paga.

Como Isso é Possível?

O aparelho é ligado ao cabo ou à antena da TV e decodifica os sinais das operadoras. Para ter acesso ao sinal, o proprietário geralmente faz uma assinatura do plano mais básico. Com o sinal disponível, o código de segurança é quebrado, liberando o acesso a todos os demais canais bloqueados.

Os usuários que comprarem o produto podem responder por crimes de violação de direito autoral e crime de receptação de mercadoria ilegal, sob pena de prisão pelo período de um mês a um ano. Já quem vende pode ser indiciado também pelo crime de contrabando.

Redes sociais invadem a realidade



Você já pensou no quão estranha é a sua vida online?

Legendas em português
Tradução de @jjmarquete / Sincronismo: @eurubens

Vídeo Original: http://www.youtube.com/watch?v=aDycZH0CA4I

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Você conhece o "King Size do Rio de Janeiro?"



Realmente uma grande aula de história e atualidade

O Vídeo da Semana (2)(3)

Primeiramente vim pedir desculpas por não postar o vídeo na semana passada e dizer dizer que por esse motivo postarei dois hoje...
Bom, vamos lá!


Assim começa o MEMEPB

Dica do Leitor: Matheus Nista
Do: Jacaré Banguela


E o que eles andam colocando nas dorgas??


Quem não gosta, gosta e quem não gosta curte!

BÔNUS!!!




NINGUÉM ME TUCUTA NO FACEBOOK!!! QUE COISA...

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Alice Cooper recruta Ke$ha para cantar em novo álbum

Alice Cooper recrutou a cantora pop Ke$há para participar do seu novo álbum. Ela fará um dueto em uma das faixas do disco, intitulado "Welcome 2 My Nightmare" (continuação do clássico Welcome to My Nightmare, de 1975). A notícia foi divulgada pelo Contatac Music.

A amizade entre os dois artistas já dura algum tempo. Ambos se apresentaram juntos em alguns shows e a dona do hit "TiK ToK" já chamou "Tia Alice" ("Aunt Alice", apelido do músico) de "pai". Já Cooper afirmou que a parceria entre eles funcionou e que a mistura de estilos agradou os făs de ambos.


Apesar dos estilos dos dois serem completamente diferentes, acho que pode sair coisa boa daí. Alice Cooper é um artista fantástico, inventor de toda a performance no rock e protagonista de uma famosa lenda de astros do rock (durante os anos 70 circulava um boato de que ele havia bebido um balde cheio de uma gosma contendo LSD, tornando-o o maior bicho papão da época). Sem falar que sua voz não se modificou tanto com o tempo, como aconteceu com vários astros.

Já Ke$ha está longe de ser uma cantora virtuosa, mas ela tem estilo e músicas divertidas, e me agrada muito mais do que a little monster Lady Gaga (que muitos diriam ser mais adequada para uma parceria com Alice). Só nos resta esperar o resultado dessa dupla, e também do disco inteiro, que promete ser um (novo) clássico, assim como sua primeira parte.


# Compartilhe

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Mais lido (mês)

© Traduzido Por: Template Para Blogspot | Thema Seo Blogger Templates